fbpx
Sequência didática: Valorizando a cultura juvenil em sala de aula

Sequência didática: Valorizando a cultura juvenil em sala de aula

A juventude é considera uma das fases mais desafiadoras da vida. Ao mesmo tempo em que o jovem está em processo de construção da sua identidade, se depara com o desafio de definir seus projetos para o futuro. Por outro lado, é a fase em que se tem maior energia, potencial e criatividade. Por isso, surgiu o dito popular“a juventude é o futuro da nação”. Ora, se “a juventude é o futuro”, por que não acreditar no potencial e valorizar a cultura desse grupo?

Eis uma questão relevante para ser discutida na escola, tendo em vista que acreditar no potencial da juventude é ter esperança e confiar que, por meio da educação, o mundo pode ser diferente e melhor do que é hoje.

Para a elaboração desta sequência didática, adotou-se o conceito de cultura juvenil a partir da perspectiva da lógica interna da culturade Hartnack e Schreiner (2008), a qual define que:

Em cada cultura estão relacionados p. ex. a língua, modos de comportamento, hábitos alimentares, práticas religiosas e outras manifestações aos aspectos visíveis: modos de pensar, percepção de tempo e espaço, considerações morais, valores e crenças por outro lado àquilo que não se pode ver. Partindo desse modelo, é a tarefa do treinamento intercultural trazer à tona (i.e. à consciência) esses aspectos invisíveis, para que possamos nos preparar melhor através de conhecimento para os desafios antecipados da comunicação intercultural. (HARTNACK; SCHREINER, 2008, p. 58)

Aplicado à valorização da cultura juvenil, esse conceito indica que deve-se levar para a sala de aula dois níveis de cultura, isto é, aquilo que é visível socialmente (comportamento, hábitos alimentares, práticas religiosas etc.) e, principalmente, o que é “invisível”, ou seja, a  visão de mundo, os valores, as crenças, modos de pensar etc.

Nesses termos, a juventude é uma fase com características peculiares, que envolvem múltiplos contextos sociais, especialmente a família e a escola, e aspectos relacionados aos hábitos, à moda, às expressões linguísticas, aos estilos de vida, aos valores e às preocupações típicas da faixa-etária. Além disso, o jovem precisa conviver com as angústias e incertezas de se sentir participante da vida social.

Com base nessas considerações, esta sequência didática tem o objetivo de valorizar a cultura juvenil na escola, a fim de que os estudantes se conscientizem do seu potencial e do importante papel que desempenham na escola e na sociedade. Para tanto, indica-se a mobilização de atividades interativas, no modelo de sala de aula invertida, mediada por atividades remotas.

TemaValorizando a cultura juvenil em sala de aula

Objetivos

Compreender e valorizar a cultura juvenil;produzir vídeos interativos em torno do tema.

Público-alvo

1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio

Áreas de conhecimento

Linguagens e suas Tecnologias, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas
Habilidades

(EM13LGG103) Analisar o funcionamento das linguagens, para interpretar e produzir criticamente discursos em textos de diversas semioses (visuais, verbais, sonoras, gestuais); (EM13LGG204) Dialogar e produzir entendimento mútuo, nas diversas linguagens (artísticas, corporais e verbais), com vistas ao interesse comum pautado em princípios e valores de equidade assentados na democracia e nos Direitos Humanos; (EM13LGG703) Utilizar diferentes linguagens, mídias e ferramentas digitais em processos de produção coletiva, colaborativa e projetos autorais em ambientes digitais.  

Tempo estimado

5 aulas (de 50 minutos)

Recursos da aula

– Computador, ou notebook, ou smartphone com conexão à internet e aparelho retroprojetor.

Etapas

Apresentação da situação Produção inicial Módulo 1 Produção final
Apresentação da situação

– Realize encontrospedagógicos on-line (via meet, zoom, entre outras plataformas) para contextualizar o tema e instigar a mobilização dos conhecimentos prévios dos estudantes sobre a cultura juvenil; – Discuta os conceitos de cultura e de juventude. Questione os alunos: Vocês sabem o que é cultura? Quais culturas vocês conhecem e/ou praticam? – Permita que alguns dos alunos respondam oralmente ou pelo chat da plataforma on-line; – Apresente o conceito de cultura e a noção de “cultura juvenil” e, em seguida, proponha uma atividade de escrita dos elementos (crenças, valores, roupas, linguagem, comportamentos, hábitos etc.) que fazem parte da cultura da qual os estudantes participam. Você pode utilizar os conceitos apresentados na contextualização desta sequência didática e apresentar slides para facilitar a compreensão por parte dos estudantes;
– Utilize esse momento para apresentar, além do tema, as atividades que serão desenvolvidas ao longo das aulas, que culminarão com a produção de vídeos interativos.
Produção inicial

–Solicite a alguns estudantes a apresentação das respostas à atividade proposta na aula anterior. Apresente, em slides, alguns dos elementos que fazem parte da cultura de grupos juvenis, tais como as músicas, as festas, as roupas, os penteados e cortes de cabelo, a linguagem etc; – Questione: Por que a cultura juvenil é tão criticada pelos adultos?Permita que os alunos exponham suas ideias e discuta com eles os elementos invisíveis dessa cultura: os ideais, as crenças, os valores; – Em seguida,solicite que os alunos realizem uma pesquisa sobre o preconceito contra a cultura juvenil.

Módulo 1
– Com o objetivo de compreender os elementos e as características da cultura juvenil, inicie a aula instigando uma discussão sobre a pesquisa realizada, permitindo que alguns alunos exponham seus pontos de vista. – Apresente as características do gênero vídeo interativo (tais como linguagem, conteúdo, elementos visuais e participantes); – Organize os estudantes em grupo e recomende que eles assistam ao vídeo Cultura jovem e tribos urbanas, disponível no Youtube
(https://www.youtube.com/watch?v=dBBK6QhHspI).
Produção final
– Oriente os alunos quanto ao planejamento do vídeo interativo: realizar leituras para se fundamentar sobre o tema; produzir cartazes, selecionar imagens para exibição e produzir argumentos para gerar a interatividade com o espectador (sugere-se que a duração do vídeo seja de, no máximo, 15 minutos).     – Oriente os integrantes dos grupos a se reunirem via googlemeet, zoom ou outra plataforma on-line e gravarem o vídeo por meio do aplicativo Movavi(https://www.movavi.com/pt/screen-recorder/); – Por fim, os estudantes devem editar o vídeo interativo, conforme orientações do professor, e compartilhar as produções em redes sociais, blog ou site da escola.  
Avaliação
Recomenda-se que a avaliação seja um processo contínuo realizado através de práticas de leitura, discussão e produção do vídeo interativo, realizadas individualmente e em grupo.   

Saiba mais!

O conceito de Cultura  http://www2.dbd.pucrio.br/pergamum/tesesabertas/0812830_2012_cap_3.pdf

Paloma Lopes

Doutora em Letras pela UFPE eespecialista em Inteligência Emocional e Libras.É professora da Educação Básica e do Ensino Superior, escritora e palestrante. Confia no potencial da educação para o desenvolvimento intelectual e socioemocional do ser.

COMPARTILHE: