fbpx
Como ajudar os estudantes a manter a rotina de estudos em casa

Como ajudar os estudantes a manter a rotina de estudos em casa

            Manter uma rotina já não é tarefa fácil, ainda mais quando se trata de estudos. Pensando nisso, é preciso ajudar o estudante, primeiramente, a entender o que é uma rotina e como colocá-la em prática pode ajudar a manter o foco nos estudos e o bom desempenho da aprendizagem.

            Apesar de muito se falar sobre planejar, organizar e manter uma rotina, essa é uma prática que, muitas vezes, se desenvolve naturalmente De acordo com o Dicionário On-line de Português, rotina é: “sequência dos procedimentos, dos costumes habituais; modo como se realiza alguma coisa, sempre da mesma forma”.No entanto, uma rotina planejada, a fim de se alcançar determinado objetivo, pode nos auxiliar na execução de tarefas pessoais e profissionais do cotidiano.

            A rotina está inserida dentro dos nossos hábitos, os quais precisam de gatilho (motivação) e recompensa (gratificação) para se enraizarem nas atividades cotidianas. De acordo com Duigg (2012)[1], para tornar as instruções um hábito, o nosso cérebro precisa converter a sequência de ações numa rotina automática, denominada “chunking” (agrupamento). Isso acontece porque o cérebro está sempre procurando maneiras de poupar esforços, tentando, automaticamente, transformar a rotina em um hábito, permitindo que a mente desacelere e proporcione um cérebro eficiente.

           Aplicada à realidade do isolamento social e considerando a impossibilidade de participar de aulas presenciais, a rotina de estudos precisa se adequar ao novo formato de aulas on-line e da consequente independência para a realização das tarefas escolares. A comodidade e flexibilidade de horários proporcionada pelas aulas no formato EAD (educação adistância) podem dar a falsa sensação de comodidade, pois, ao contrário do que se imagina, é preciso ter disciplina para conseguir atingir resultados satisfatórios nessa modalidade de estudo.

[1] DUIGG, Charles. O poder do hábito: por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios. Tradução Rafael Mantovani. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.


            Nesse contexto, seguem algumas orientações que podem ajudar os estudantes a manter a rotina de estudos sem perder o foco.

O PLANEJAMENTO

  • Reservar, no mínimo, 2h de estudos por dia, em qualquer um dos turnos (manhã, tarde ou noite), sem contar com os horários de aulas;
  • Produzir um cronograma com os conteúdos que precisam ser estudados e distribuí-los ao longo da semana. É importante não estudar as mesmas matérias todos os dias, para a rotina não ficar enfadonha;
  • Serfiel aos horários de estudo e, para isso, é valido programar despertadores e alarmes;
  • Atribuir recompensas, como acessar redes sociais, assistir a vídeos, a um filme ou a episódios de séries, comer um chocolate, fazer um exercício físico.

A PRÁTICA

            Uma vez que a rotina de estudos foi estabelecida, algumas dicas podem ajudar os estudantes a manter o foco e, assim, não perder de vista os objetivos estabelecidos. Seguem as recomendações:

  • No horário de estudo, é importante procurar um ambiente agradável, silencioso, propício à concentração. Uma observação importante: nunca se deve estudar deitado, pois essa postura predispõe ao sono e à distração. A postura é um fator fundamental para a aprendizagem;
  • Cumprir com as tarefas solicitadas pelos professores com antecedência – quanto antes as atividades estiverem concluídas, mais tempo haverá para tirar dúvidas com os professores;
  • Ser organizado e manter-se motivado, estabelecendo metas para se chegar aos objetivos traçados;
  • Evitar distrações e fugas no momento dedicado ao estudo, como abrir abas secundárias no navegador ou checar redes sociais.
  • Reservar o final de semana para descansar e realizar hobbies ou atividades prazerosas.

           Professor(a), você também pode auxiliar os alunos nesse processo elaborando para eles um modelo de cronograma de estudos, incluindo o nome da disciplina, o conteúdo da semana e as atividades que eles devem cumprir. Além disso, é importante reservar um tempo para tirar as dúvidas particulares dos estudantes, a fim de incentivá-los a permanecerem fieis aos estudos.

Sugestão de leitura

DUIGG, Charles. O poder do hábito: por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

Paloma Lopes

Doutora em Letras pela UFPE, especialista em Inteligência Emocional e em Libras, é professora da Educação Básica e do Ensino Superior, escritora e palestrante. Confia no potencial da educação para o desenvolvimento intelectual e socioemocional do ser.

COMPARTILHE: