fbpx
Como desenvolver as dez competências gerais em sala de aula

Como desenvolver as dez competências gerais em sala de aula

            A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), refletindo as atuais necessidades de formar um estudante protagonista, que consiga resolver os desafios da vida contemporânea com autonomia, propõe que a escola desenvolva, ao longo das séries da educação básica e por meio dos diferentes componentes curriculares, dez competências gerais,que consubstanciam os direitos de aprendizagem e desenvolvimento.       

            Competência, na BNCC, é conceituada como a mobilização de conhecimentos (conceitos e procedimentos), habilidades (práticas, cognitivas e socioemocionais; “saber fazer”), atitudes e valores universais para resolver situações complexas da vida, do mundo do trabalho e do pleno exercício da cidadania. Por meio das competências, a BNCC indica que a educação deve afirmar valores e estimular ações que contribuam para a transformação da sociedade, tornando-a mais ética, democrática, responsável, inclusiva, sustentável e solidária.

            Com base em uma leitura crítica realizada por Ana Penido, diretora do Inspirare e integrante do Movimento pela Base, as dez competências gerais podem ser resumidas, por meio de palavras-chave, da seguinte forma:

Fluxograma Competências Gerais da BNCC.

            Focadas no desenvolvimento integral, essas competências levam em consideração todas as dimensões necessárias à constituição do ser humano. Nessa perspectiva, a proposta não é promover apenas o desenvolvimento intelectual/acadêmico, como ocorre no ensino tradicional, mas também o emocional, o social, o físico, o digital e o cultural.

            1. Conhecimento

  • Na BNCC: Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.
  • Comentário: Essa competência aponta para a importância do estudante ativo, que reconhece a necessidade de buscar informações para sua própria aprendizagem e que reflete sobre a construção do conhecimento (o que, como e por que aprender).

            2. Pensamento científico, crítico e criativo

  • Na BNCC: Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.
  • Comentário: Essa competência trata do desenvolvimento do raciocínio e questionamento, da análise crítica e da busca por resoluções de problemas criativas e inovadoras.

            3. Repertório cultural

  • Na BNCC: Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.
  • Comentário: Essa competência reconhece a importância das artes na ampliação do repertório social e pessoal, indicando que, por meio delas, os estudantes podem ter diferentes possibilidades para vivenciar esse relacionar com o mundo.

            4. Repertório cultural

  • Na BNCC: Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.
  • Comentário: Essa competência leva consideração os diversos elementos que fazem parte da comunicação, partindo do uso crítico das diversas linguagens para entender e se fazer entendido no mundo.

            5. Cultura digital

  • Na BNCC: Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.
  • Comentário: Essa competência reconhece a importância das ferramentas digitais de informação e comunicação na disseminação de informação e produção de conhecimentos, indicando a necessidade de os estudantes dominarem o universo digitais com qualidade e ética.

            6. Trabalho e projeto de vida

  • Na BNCC: Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.
  • Comentário: Essa competência aborda a liberdade de escolha e a maneira pela qual as pessoas se inserem no mundo, considerando-se os planos e as decisões que contribuem com a convivência social, a capacidade de gerir a própria vida, os planos e as metas de projetos presentes e futuros.

            7. Argumentação

  • Na BNCC: Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.
  • Comentário: Essa competência trata da capacidade de construir opiniões, conclusões e argumentos que favorecem o posicionamento crítico e ético em debates, com respeito às opiniões do outro.

            8. Autoconhecimento e autocuidado

  • Na BNCC: Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas.
  • Comentário: Destaca a importância de o estudante conhecer e cuidar da própria saúde física e emocional, refletindo sobre pontos fortes e as fragilidades de si mesmo para melhorar a capacidade de lidar com as adversidades pessoais.

            9. Empatia e cooperação

  • Na BNCC: Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.
  • Comentário: Essa competência reconhece que divergências e conflitos existem, mas é preciso lidar com as diversidades para que se tenha uma melhor qualidade de vida. Assim, indica-se a necessidade de buscar modos respeitosos e pacíficos de convivência.

            10. Responsabilidade e cidadania

  • Na BNCC: Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.
  • Comentário: Essa competência indica que o agir pessoal dos estudantes podem contribuir com a construção de uma sociedade mais ética, democrática, sustentável e solidária.

            Em sala de aula, a ideia não é planejar uma aula específica ou mesmo criar um componente curricular para desenvolver cada competência, mas explorá-las de maneira articuladadurante a aprendizagem de habilidades das diferentes áreas de conhecimento. Dessa maneira, a construção de um currículo que seja coerente e coeso com a abordagem das competências é fundamental.

            Com esse exemplo, percebe-se que muitos professores já trabalham com um planejamento pautado no desenvolvimento de competências. O que se pretende com a BNCC é fazer com que essa prática seja comum a todas instituições de ensino brasileiras e que seja rotina, no intuito de formar um indivíduo que atue de maneira eficaz em todas as suas dimensões, ocasionando uma sociedade mais justa, democrática e inclusiva.

            Para desenvolver competências, é importante refletir ainda sobre alguns elementos que precisam ser implementados ou ajustados para provocar mudanças no ambiente escolar. Lembrando que são aspectos que não são prescritivos e nem esgotam todas as formas de desenvolver competências.

  • É preciso pensar nos espaços da escola. Por exemplo, a escola tem espaços para leitura, como biblioteca, ou mesmo internet, que favoreçam a busca por informações.
  • É fundamental repensar as práticas do cotidiano escolar. Quais são as atividades que podem ser propostas para desenvolver, por exemplo, a empatia e a argumentação ao explorar determinado objeto de conhecimento em um componente curricular.
  • É preciso pensar na formação continuada para que o professor possa planejar diferentes atividades que explorem as competências enquanto foca-se na aprendizagem de habilidades. Outro ponto importante é que, para desenvolver competências nos estudantes, o próprio corpo docente precisa colocá-las em prática no dia a dia.
  • As formas de avaliação também precisam ser modificadas. Uma escola conteudista precisa avaliar o estudante com base no conteúdo. Uma escola que tem como foco o desenvolvimento de competências precisa repensar o processo de avaliação, tendo em vista que as competências são abrangentes. A utilização de metodologias ativas é uma sugestão para auxiliar esse processo.

            Em suma, o desenvolvimento integral com base em competências é um grande desafio para toda a comunidade escolar: gestores, coordenadores, professores, pais/responsáveis e estudantes. São mudanças que não acontecem da noite para o dia e exigem um intenso planejamento e replanejamento com o objetivo de alcançaruma transformaçãopolítica e cultural, que valorize e reconheça o conhecimento como o principal meio para odesenvolvimento da sociedade.

COMPARTILHE: