fbpx
Dia nacional do escritor: Uma homenagem àqueles que lançam mundos no mundo

Dia nacional do escritor: Uma homenagem àqueles que lançam mundos no mundo

O mais belo triunfo do escritor é fazer pensar os que podem pensar.

(EugèneDelacroix)

            No Brasil, o Dia Nacional do Escritor é comemorado em 25 de julho. A ideia de homenagear àqueles que se dedicam a linguagem escrita surgiu no I Festival do Escritor Brasileiro, organizado em 1960 pela União Brasileira de Escritores (UBE), sob a presidência de João Peregrino Júnior, contista e ensaísta, e Jorge Amado, um dos mais influentes nomes da literatura nacional. A partir desse ano, a data foi oficializada por meio de decreto governamental.

            Caetano Veloso já indicou, na canção Livro, que “a frase, o conceito, o enredo, o verso (e, sem dúvida, sobretudo o verso) é o que mais pode lançar mundos no mundo”. Sem dúvida, a palavra faz sentir e faz pensar; a escrita é um dos principais caminhos para alcançar conhecimento, adentrar em outras realidades, refletir, denunciar, libertar, chorar, sorrir. Essas possíveis funções e sensações são alcançadas não somente na ficção, mas também em outros gêneros textuais, como as notícias, as reportagens, os artigos de opinião.Assim, a arte de escrever não está ligada apenas à literatura, mas também às variadas escritas (impressas ou digitais) com as quais interagimos no dia a dia e que, de um modo ou de outro, nos transformam.

            Porém, convém ressaltar que o exercício da leitura literária é indispensável na escola. Vários escritores brasileiros quemarcaram época e desenvolveram obras memoráveis podem ser explorados nas aulas, no intuir de transformar estudantes em leitores críticos. Apresentamos, a seguir, alguns desses autores.

  • Monteiro Lobato (1882-1948)

Escritor, jornalista, editor, Monteiro Lobato teve uma vida dedicada à literatura e procurou, sempre que pôde, exaltar a cultura nacional. Inovou ao produzir livros para o públicoinfantojuvenil em um período em que pouco ou nada se produzia para crianças na América Latina. Os livros que compõem a série Sítio do Picapau Amarelo são suas obras mais famosas.

  • Machado de Assis

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu no Rio de Janeiro, em 21 de junho de 1839 e faleceu nomesmo estado em 29 de setembro de 1908. Foi folhetinista, cronista, poeta, romancista, dramaturgo, contista, jornalista, crítico literário e um dos criadores da Academia Brasileira de Letras. Tendo vivido em uma época em que o romantismo no Brasil e o realismo na Europa se destacavam, a literatura de Machado de Assis esteve despreocupada de definições estilísticas, ultrapassando, aos poucos, a estética comum a essas escolas literárias. Entre suas obras mais memoráveis estão: Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, Memorial de Aires.

  • Clarice Lispector (1920-1977)

Clarice nasceu em Tchetchelnik, na Ucrânia, mas se mudou para o Brasil aos seis anos de idade. Suas obras apresentam um estilo reflexivo, poético, denso e filosófico que levaram a escritora a receber diversos prêmios ainda em vida. É autora de livros como A hora da estrela, A paixão segundo G. H., Laços de família, entre outros.

  • Guimarães Rosa

João Guimarães Rosa nasceu em Cordisburgo, em 27 de junho de 1908 e faleceu no Rio de Janeiro, em 19 de novembro de 1967. Foi escritor, diplomata, novelista, romancista, contista e médico. Seus contos e romances, que tinham, em sua maioria, o sertão brasileiro como cenário, são marcados por inovações de linguagem, sobretudo neologismos que o autor criava tendo como base arcaísmos e palavras populares, somados a sua própria erudição. É considerado por muitos como o maior escritor do século XX e um dos maiores de todos os tempos. Suas obras mais conhecidas são: Grande Sertão: Veredas, Sagarana (contos), Primeiras Estórias (contos).

            Em sala de aula, esse dia pode ser incorporado à rotina escolar por meio de círculos de leitura, em que os estudantes selecionam uma obra literária de determinado escritor e participa de um diálogo literário. Para iniciar, o professor pode sugerir que os alunos pesquisem a biografia de um autor brasileiro e escolham uma obra literária para compartilhar impressões de leitura com os colegas da turma. É importante motivar os cada um a leituras que tenham uma finalidade, e não necessariamente escolar, tornando prazeroso o ato de ler e evitando que essesestudantes leiamapenas por obrigação.

            Com essa proposta, além de explorar o letramento literário na escola, celebra-se o dia 25 de julho e homenageia-se escritores brasileiros da melhor forma possível: dando vida às suas palavras por meio da leitura, análise, troca de opiniões e impressões de leitura.

COMPARTILHE: