fbpx
Como utilizar Textos Multimodais na sala de aula?

Como utilizar Textos Multimodais na sala de aula?

           A multimodalidade é conceituada como uma multiplicidade de linguagens articuladas que contribuem para a construção de significados no texto. Um texto multimodal apresenta um repertório variado de recursos semióticos (escritos, orais, visuais, gestuais, entre outros)geradores de sentidos, mobilizados organizadamente em contextos de produção.

            Sob a ótica de Kress (2010), a multimodalidade é um método de criação de significados semióticos que mobilizam signos diversos a fim de produzir sentidos, tais como a imagem utilizada para otimizar o tempo de leitura, a escrita para revelar o que seria difícil de mostrar e a cor como destaque de aspectos específicos da mensagem geral.

           Partindo dessa perspectiva, para tratar os textos/gêneros multimodais nas aulas de linguagem, é necessário que o professor compreenda que, em contextos de multimodalidade, as imagens são referências da realidade, utilizadas para legitimar argumentos e fatos relatados e descritos.

           Além disso, atualmente, os recentes avanços tecnológicos têm oportunizado novas formas de interação mediadas pelos recursos digitais, conduzindo à necessidade de se revisar alguns conceitos no que tange ao processamento textual e às práticas pedagógicas, visto que imagem e palavra mantêm relações cada vez mais intrínsecas.

           Como pode ser observado no esquema acima, os meios de comunicação, dos mais tradicionais aos mais avançados, e os meios de circulação da informação se atualizam e se intensificam vertiginosamente com o passar dos anos, promovendo mudanças significativas nos modos de ler, produzir e divulgar os textos na sociedade. Por isso, o ensino e a aprendizagem da leitura e da escrita precisam levar em consideração a variedade dos modos de comunicação existentes.

           Nesse contexto, os professores precisam promover o desenvolvimento de habilidades necessárias à interpretação de textos multimodais. Essa abordagem leva também a mudanças nas formas de interação entre professores e alunos, por meio de novas práticas de letramento. Entenda-se letramento como práticas sociais de reconhecimento, compreensão e produção de textos, e também como um conjunto de competências culturais para construir significados sociais reconhecíveis.

           De acordo com Rojo (2012), os novos gêneros discursivos são modos de significar e representar configurações que trazem novas feições para a leitura, por se valerem de hipertextos (textos escritos que permitem ao leitor escolher um caminho de leitura não-linear a partir de sequências associativas), multimídias (apresentação de informações por meio de recursos diversos) e hipermídias (sistema que permite a exibição de informações a partir de links que acionam outros documentos).

           Sendo assim, alguns recursos e estratégias podem ser utilizados pelo professor para desenvolvera compreensão e a produção de textos multimodais na sala de aula, tais como:

  • Observar as escolhas linguísticas (lexicais e discursivas) relacionadas ao contexto de produção e de circulação do gênero;
  • Verificar o tipode gênero,suas características organizacionais, e de estilo;
  • Refletir sobre a escolha dos elementos visuais, cores, disposição dos elementos;
  • Compreender a relação entre palavra e imagem, voz e gestos, relacionando-os ao contexto sócio-histórico de produção e circulação;
  • Produzir gêneros multimodais para divulgação na escola e na comunidade e/ou publicação on-line.

           Exemplos de gêneros que podem ser analisados e produzidos nas aulas são charge, notícia, propaganda, vídeo, panfleto, podcast, chats, posts, ezines, funclips etc., que circulam nas modalidades impressa e digital, unindo imagens estáticas (fotos, ilustrações, gráficos) e em movimento (vídeos, gifs), com sons (músicas, sonoplastias) e voz.

           Para fornecer esse direcionamento, compreendemos que a nova era tecnológica tem nos movido para a configuração de uma “autoria multimidiática”, conforme anuncia Lemke (2010). Vivemos numa sociedade multi, que está permeada de inovações tecnológicas e novas formas de se comunicar. Por isso, é preciso mediar aprendizagens que promovam novas habilidades e competências que tornem os estudantes cada vez mais aptos a interagirem e dominarem múltiplas formas de comunicação.

           É preciso que a escola contribua com a recepção e produção de textos de maneira mais crítica e consciente, tomando essas linguagens múltiplas como objeto de discussão no ensino-aprendizagem direcionado para as práticas de letramento. Indicamos a realização de um trabalho que parte das culturas de referência, das noções de gênero, de mídias e de linguagens, a fim de ampliar o repertório cultural dos estudantes.

Paloma Sabata Lopes da Silva

Doutora em Letras pela UFPE, especialista em Inteligência Emocional e em Libras, é professora da Educação Básica e do Ensino Superior, escritora e palestrante. Confia no potencial da educação para o desenvolvimento intelectual e socioemocional do ser.

COMPARTILHE: