fbpx
Projetos Integradores – Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Projetos Integradores – Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Sequência Didática: A verdade em jogo nas fake news

           Atenção Professor! Essa proposta foi pensada de modo a atender ao ensino remoto de emergência, todos os seus procedimentos e etapas possuem indicações de como adaptá-la ao ambiente virtual.

Etapa de ensino

Ensino Médio (todos os anos)

Tempo estimado

4 a 6 aulas

Objetivos

  • Despertar a compreensão crítica acerca da construção das verdades nas diferentes mídias;
  • Fomentar a curiosidade e o hábito de ler criticamente os conteúdos acessados nas redes digitais, a fim de identificar fake news;
  • Direcionar o uso das redes sociais para o consumo de informações de qualidade e de perfis que realizam checagem de fatos.

Componentes curriculares contemplados

  • Língua Portuguesa –análise crítica e argumentação; letramento digital.
  • Filosofia – a construção e o conceito de verdade na era digital.
  • Sociologia – a manipulação social proveniente das fake news.

Competências e habilidades desenvolvidas

Competências Gerais: 5, 7 e 10.

Competências Específicas: 1, 2 e 7.

Habilidades: EM13LGG102; EM13LGG202; EM13LGG204; EM13LGG702; EM13LGG704.

Introdução

           Desde 2016, ano em que as redes sociais foram decisivas para o resultado das eleições estadunidenses, as polêmicas fakenews têm levantado discussões ao redor do mundo. Para alguns, esse fenômeno se caracteriza como uma ferramenta útil para manipulação da grande massa; para outros, representa um grande obstáculo que precisa ser superado,seja por meio da educação ou da legislação.

           Engana-se quem pensa que as fakenews resultam unicamente da disseminação das mídias digitais. Embora a expressão seja nova, a propagação de informações falsas com o objetivo de ludibriar ou difamar oponentes existe há séculos. Durante a Inquisição, por exemplo, a Igreja atribuía às mulheres que desafiavam as normas sociais características de bruxa. Muitas delas foram perseguidas e mortas. No século XX, durante a Segunda Guerra Mundial, as propagandas nazistas convenciam grande parte dos alemães de que os campos de concentração se assemelhavam a confortáveis hospedarias de judeus.

           Na atualidade, a mentira encontra terreno fértil nas redes digitais, devido à sua abrangência, instantaneidade e dificuldade de rastreamento dos produtores de fake news. Os grupos de WhatsApp, por exemplo, são alvos constantes, visto que esse aplicativo de mensagens preza pela privacidade dos seus usuários e utiliza criptografia de ponta-a-ponta nas conversas. As consequências disso são inúmeras e podem levar à proliferação de discursos de ódio ou até à adoção de comportamentos perigosos; os casos de fake news envolvendo a Covid-19 exemplificam tal risco.

           Apesar dessa onda de desinformação, há maneiras de se identificar o teor de informações falsas e, dessa maneira, desmentir ou não repassar conteúdos enganosos.Assim, esta sequência didática, baseada na metodologia de projetos, tem por objetivo fomentar a curiosidade e o hábito de ler criticamente os conteúdos acessados nas redes digitais. Além disso, ela intenta direcionar a utilização da internet para o consumo de informações de qualidade e de perfis que realizam checagem de fatos, o que implica a compreensão sobre a estrutura das fake news.

Procedimentos metodológicos

           Antes de iniciar esta sequência didática, solicite aos alunos que coletem notícias de portais eletrônicos e publicações de redes sociais. Enfatize que os conteúdos podem apresentar informações verdadeiras ou falsas.

Etapa 1

  • Inicie a aula com os seguintes questionamentos: O que significa a palavra “verdade”? Como as verdades são construídas? Os alunos devem compartilhar suas experiências livremente, trazendo exemplos de seu cotidiano para ilustrar a definição solicitada; no ambiente virtual,escolha 2 ou 3 alunos para se manifestarem;
  • A partir das respostas dos alunos, explique brevemente sobre a construção discursiva das verdades, com ênfase no jornalismo. O texto O jornalismo e a construção social da realidade, de Túlio Vasconcelos (disponível em: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/diretorio-academico/ed674-o-jornalismo-e-a-construcao-social-da-realidade/) pode lhe fornecer um maior embasamento teórico. Aborde a questão da legitimidade do discurso jornalístico, do ideal de objetividade da notícia, dos dados estatísticos e das fontes selecionadas pelo jornalista para embasar a narrativa. Essa abordagem deve ser simultânea à apresentação dos conteúdos coletados pelos alunos; no ambiente virtual, escolha 4 ou 5 alunos para compartilhar os dados obtidos por meio da pesquisa solicitada previamente;
  • Em seguida, reflita com os alunos sobre o conceito de fake news. Levante estes questionamentos: Quando surgiram as fakenews? Por que as pessoas acreditam e compartilham fake news? Quais as consequências das fake news para a sociedade? Você pode utilizar o artigo Notícias falsas e pós-verdade: o mundo das “fake news” e da (des)informação para fundamentar sua explanação (https://www.politize.com.br/noticias-falsas-pos-verdade/). A fim de expandir a noção desse fenômeno, apresente aos alunos um pequeno trecho do filme O menino do pijama listrado, dirigido por Mark Herman, que mostra a propaganda nazista sobre os campos de concentração (https://www.youtube.com/watch?v=j3Cb-S-swe0). Se quiser, pesquise outros exemplos de propagandas promovidas por Hitler e Goebbels.
  • Apresente dois vídeos publicados por Iberê Thenório, criador dos canais Manual do Mundo e Curso Vaza, Falsiane!(https://www.youtube.com/watch?v=RE_oB8COKys&list=PLwUF0tYyc7q8mQiEcP3OUNs59nCSbqBvb; https://youtu.be/ALS8PhTX4k8).
  • Por fim, levante os seguintes questionamentos: Existem sites ou perfis que analisam a veracidade de uma notícia ou publicação? Como esses sites atuam? De que maneira eles são financiados? As respostas a essas perguntas são o fio condutor da próxima etapa.

Etapa 2

  • Inicie a aula apresentando brevemente os sites e perfis que realizam checagem de fatos (Agência Pública, Aos Fatos, Lupa, Portal G1 – Fato ou Fake, Boatos.org etc.). Leia, junto com os alunos, um guia de checagem de fatos publicado na BBC News Brasil (https://www.bbc.com/portuguese/brasil-45043716);
  • Em seguida, aplique o jogo preparado pelo Instituto Poynterem sua turma. Faça o download dos materiais do jogo neste link: https://factcheckingday.com/lesson-plan. Há uma versão em Português. A recomendação é que os alunos se distribuam em grupos; no ambiente virtual, você pode optar pela atividade individual. O jogo consiste em transformar os alunos em jornalistas de uma revista conceituada que deve publicar um editorial se posicionando acerca dos benefícios e malefícios do uso de agrotóxicos em um país fictício chamado Agritânia. Os estudantes precisam checar, através dos seus celulares, as notícias publicadas nas redes sociais (que constam dos cartões no link para download) e escrever um editorial dissertando a opinião da revista quanto à temática.
  • Os alunos precisam ter um conhecimento prévio sobre o gênero textual “editorial”. A depender da turma, você pode aproveitar esta etapa para dialogar sobre a estrutura e o funcionamento do editorial ou substituir a produção dele pela de outro gênero argumentativo.

Etapa 3

  • Para finalizar essa sequência de aprendizados, escolha 4 ou 5 editoriais produzidos pelos alunos para serem lidos coletivamente. Avalie se o texto atende ao gênero solicitado;
  • Estimule os alunos a dialogarem sobre a experiência de checagem dos fatos e sobre as conclusões apresentadas em seus editoriais;
  • Munido(a) das checagens já elaboradas pelo Instituto Poynter e disponibilizadas ao professor no link de download (https://factcheckingday.com/lesson-plan), oriente os alunos quanto à veracidade ou à falsidade das informações relacionadas nos cartões de notícias;
  • Promova uma autorreflexão sobre os aprendizados alcançados por meio desta sequência didática e questione os alunos quanto aos comportamentos que eles podem adotar cotidianamente para evitar a proliferação de fake news.

Material Necessário:

Computador, retroprojetor ou tv smart, celulares dos alunos, papel e caneta (no ambiente escolar).

Sugestões de vídeos:

Canal Curso Vaza, Falsiane!

Jovens e desinformação: Papo com Rodrigo Ratier

https://www.youtube.com/watch?v=3cdd8MkyWkk

VF Debate – Desacelerar para ser crítico – com Michelle Prazeres

https://www.youtube.com/watch?v=1f9OkXL0zA0

Os perigos dos boatos – com Lívia Silva de Souza

https://www.youtube.com/watch?v=ywJzUTBsXEE

COMPARTILHE: