fbpx
Organização do professor para o home office: a importância da rotina de trabalho

Organização do professor para o home office: a importância da rotina de trabalho

           Trabalhar em casa já não é uma opção para o professor, é questão de saúde, pois envolve não apenas a um indivíduo, mas a nossos alunos e aos respectivos familiares. Em tempos de pandemia pelo coronavírus, é preciso adotar alguns princípios de organização e estabelecimento de rotina a fim de lidar melhor com o modelo home office e o ensino remoto. Essa modalidade de trabalho traz muitos benefícios, mas também pode provocar a instabilidade emocional em muitos profissionais que passaram a sentir ansiedade e medo de encarar as novidades que estão surgindo.

           Nesse contexto, temos a pretensão de ajudá-lo(a) a repensar as suas práticas e encontrar soluções melhores para o novo percurso, organizando-o para o trabalho e para manter rotinas que auxiliem no seu desenvolvimento pessoal e profissional.

           Na nossa profissão estamos habituados ao contato físico, às trocas de olhares e de diálogos, às conversas sobre os conteúdos e sobre a vida, aos questionamentos e ao sentar-se junto para solucionar as dúvidas. Por outro lado, o ensino remoto nos distanciou dos nossos alunos e da realidade escolar. São aulas monologais, de respostas de alunos invisíveis, que pouco interagem sequer para fazer uma pergunta ou responder à chamada. É preciso criatividade para ministrar aulas mais dinâmicas e gerar o engajamento dos alunos.

           Como vencer a distância tão necessária nesse momento de isolamento? Tarefa que requer esforço por parte do professor, mas que não é impossível. Primeiro, é preciso mantermos a esperança e a consciência de que o distanciamento social não vai durar para sempre e de que precisamos nos reinventar, resistir e nos adaptar à nova modalidade de ensino-aprendizagem. Temos a certeza de que as interações na escola e na sala de aula são extremamente necessárias para a aprendizagem, e isso ficou ainda mais evidente agora. Todavia, enquanto não podemos ministrar nossas aulas presencialmente, concentremo-nos no que pode ser feito hoje e sigamos vencendo um desafio de cada vez.

           Conforto, funcionalidade e readaptação da rotina são as “bolas da vez” no que se refere ao home office. Estar confortável representa vestir-se com suas roupas de trabalho, estar num ambiente adequado e adotar uma postura correta, são elementos que favorecem à concentração e servem para ajudar nosso cérebro a entender que é hora de trabalhar. Por outro lado, trabalhar na cama e/ou de pijama não seria ético, nem te ajudaria a manter o foco nas suas atividades. Se faz isso, saiba que está enviando para o seu cérebro a mensagem de que é momento de descansar, por isso, pode te tornar menos produtivo.

           Mesmo trabalhando em casa, organize seu espaço improvisando um escritório, caso não tenha; mantenha hábitos que você já tinha quando precisava sair para ministrar aulas na escola: tomar um banho, arrumar os cabelos, vestir-se adequadamente, maquiar-se (quando for o caso). Estabeleça prioridades, para que você consiga resolver uma atividade de cada vez e não se sobrecarregue com tarefas de última hora, por exemplo, além dos horários de aula, reserve um horário fixo para planejar suas aulas e atividades para os alunos, correção de exercícios e provas e produção de relatórios exigidos pelas instituições. É importante ter disciplina e, enquanto estiver trabalhando, conseguir evitar distrações – televisão, redes sociais, páginas extras da web, como filmes, vídeos ou notícias, serviços domésticos, entre outras – que possam impactar na sua produtividade. Faça isso conforme sua especificidade, pois a rotina doméstica de afazeres e cuidados com os filhos vão estar acontecendo paralelamente.

           Por falar em conciliar trabalho e cuidados com a casa e com os filhos, sabemos que muitos profissionais têm se sobrecarregado com a tripla jornada e quantidade de demandas. Para nos adaptar com mais tranquilidade e menos sofrimento é preciso estar ciente da necessidade de uma mudança de perspectiva e de cultura.

           Para outras pessoas, porém, com perfil de autodisciplina e contexto familiar favorável, o home office é uma atividade vantajosa, tendo em vista que permite gerenciar melhor o uso do tempo, manter concentração e produtividade, além de proporcionar melhor qualidade de vida.

           Ademais, manter o foco, a determinação, se organizar e ser otimista pode ajudar a vencer os estresses do dia a dia. Para isso, veja algumas sugestões que preparamos para auxiliar você nesse processo:

  • Ser feliz – encontrar pontos positivos para o trabalho remoto, ser otimista e manter as boas relações interpessoais são imprescindíveis para evitar a sobrecarga e o estresse.
  • Preparar-se para o trabalho – indicar para a sua mente que é hora de trabalhar, vestindo-se adequadamente, mantendo-se num ambiente com boa iluminação e ventilação e que te proporcione postura diante da tela do notebook ou computador.
  • Estipular horários fixos – organizar uma agenda de trabalho, que te permita a possibilidade de se planejar.
  • Evitar distrações: seu ambiente de trabalho precisa ser sossegado e você precisa de foco para resistir a leituras paralelas, uso de aplicativos e redes sociais etc. Além disso, é preciso colaboração dos outros moradores da casa, evitando que te chamem no momento de aula ou de reuniões ou coloquem sons altos.
  • Alimentar-se bem e fazer exercícios físicos – uma boa alimentação aliada a atividades físicas eleva, em muito, nossa capacidade de concentração e de disposição.
  • Reservar momentos de lazer e descontração – dispor de tempo para si mesmo e para fazer o que gosta é essencial para o equilíbrio emocional.

           Estipular limite de horário diário para trabalhar e estabelecer intervalos e momentos de descanso são ações importantes para evitar a grande tendência a não se desligar das tarefas, ocasionando estresse. Não é porque estamos em casa que devemos nos dedicar integralmente à profissão.  Dormir bem, para manter nosso sistema imunológico saudável, encontrar pontos positivos, manter o bom humor e os cuidados com o corpo e com a mente fazem parte desse processo. É sempre necessário determinar tempo para nós mesmos, para fazer aquilo que gostamos, dançar, assistir um “besteirol”, manter contato com amigos e familiares, cuidar de plantas etc. Afinal, cuidar de si é fundamental para lidar e cuidar do outro. Estamos juntos!


Paloma Sabata Lopes da Silva

Doutora em Letras pela UFPE, especialista em Inteligência Emocional e em Libras, é professora, editora assistente, escritora e palestrante. Confia no potencial da educação para o desenvolvimento intelectual e socioemocional do ser.                

COMPARTILHE: