fbpx
O Livro Didático na Educação Infantil

O Livro Didático na Educação Infantil

           O Livro Didático (LD) ainda é o instrumento mais utilizado como recurso de ensino-aprendizagem nas escolas brasileiras, embora não seja o único, é capaz de promover reflexões sobre a realidade e estimular a capacidade investigativa dos alunos com o intuito de que se tornem agentes na construção do próprio conhecimento. O princípio fundamental que se estabelece é o de que o uso do LD na escola auxilia e facilita o trabalho do(a) professor(a), proporcionando a possibilidade de orientar a sequência de conteúdos a serem estudados e a natureza pedagógica do trabalho, com as orientações presentes no Manual do Professor, por exemplo.

           Sendo assim, com a oportunidade de aquisição do LD (obras didáticas, literárias e pedagógicas) na Educação Infantil proposto pelo Edital do Programa Nacional do Livro e do Material Didático 2022 (PNLD 2022) surgiu uma nova perspectiva para elaboradores e editoras trabalharem com o desígnio de atingir aos parâmetros estabelecidos pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC, 2018) e às expectativas dos docentes e dos familiares das crianças. De acordo com o Portal do MEC, essa é uma medida que visa à democratização do acesso ao material didático, literário e pedagógico.

A importância do Livro Didático para a Educação Infantil

           É fundamental refletirmos sobre a pertinência do material didático na Educação Infantil, pois, muitas vezes, é tido como material de referência ou, por outro lado, como vilão. Por entender o LD como uma obra planejada, produzida e avaliada com o propósito de garantir a aprendizagem dos alunos e a progressão dos conteúdos; como um recurso a mais para a prática docente; como elemento mediador entre a prática pedagógica e a aprendizagem dos alunos; defendemos aqui a importância da produção do material didático adequado aos objetivos de aprendizagem e aos projetos educativos que circundam as escolas.

           O LD deve ser utilizado como material de apoio que subsidie as práticas de letramentos para as crianças e permita a contextualização das diversas realidades e culturas sociais, assegurando o acesso aos acervos literários, recursos informativos, audiovisuais, brinquedos, ludicidade e outros materiais disponíveis nas instituições de ensino.

           Portanto, esse tipo de obra não limita a didática do(a) docente, pelo contrário, oferece-lhe mais um percurso de ensino e permite a valorização e a autonomia do trabalho desempenhado, por meio da possibilidade de realizar adaptações a realidades particulares dos estudantes.

           Ademais, trata-se de uma fonte confiável de consulta tanto para o(a) professor(a), quanto para os familiares que sempre auxiliam no processo de aprendizagem da criança; possui linguagem adequada, textos e tarefas compatíveis com cada faixa-etária; é capaz de proporcionar aprendizagens significativas e o gosto pela leitura e pelos estudos.

Vantagens para o(a) professor(a)

           Conforme antecipado, o LD media a relação entre ensino ofertado pelo(a) professor(a) e a aprendizagem das crianças, consequentemente, proporciona vantagens para o docente, tais como:

  1. potencialização do tempo de pesquisa e de preparação das aulas – de posse do material didático, o(a) professor(a) otimiza a preparação das aulas e dos conteúdos com a viabilidade de conseguir avançar etapas, como consulta, seleção e elaboração de materiais, de modo que poderá planejar a flexibilidade dos conteúdos com atividades apenas complementares e aprofundar e refletir sobre a própria prática.
  2.  adequação à realidade local de aplicabilidade – o(a) docente pode direcionar e guiar o aprendizado dos alunos em direção à cultura que participam e às peculiaridades locais.
  3. autonomia no processo de condução do ensino-aprendizagem – permite a total liberdade de ministração dos conteúdos por parte do(a) professor(a), ao passo que lhe garante mais uma possibilidade e não a única.
  4. sugestões de aperfeiçoamento – oferece o Manual do Professor, livro-suporte que dá ideias de como tratar de diversos assuntos em sala de aula e serve de base para o planejamento do(a) professor(a). 

Seleção do Livro Didático

           Pelas características apresentadas sobre o LD, percebemos que o processo de escolha do material é de extrema importância, deve ser pautada em critérios de adequação ao currículo e ao Projeto Político Pedagógico (PPP) de cada escola, além do mais, é preciso observar:

  • a presença de propostas inovadoras e qualidade do material de apoio para o(a) professor(a) – a exatidão conceitual e as propostas de atividades do livro do aluno e a qualidade do Manual do Professor são imprescindíveis no momento da seleção da obra a ser adota pelos(as) professores(as);
  • a linguagem utilizada nas obras – se compatível com cada série, apresentando clareza e qualidade dos textos apresentados;
  • metodologia – se faz menção ao uso de tecnologias complementares ao material, por exemplo, recursos tecnológicos e livros para consulta.
  • presença de textos multimodais – é importante que as crianças tenham acesso a textos diversos, multimodais, veiculados em meio impresso e digital, a fim de mobilizar práticas de letramentos.
  • iconografia de qualidade – ilustrações nítidas, coloridas e compatíveis com cada faixa-etária.
  • propostas de projetos e atividades práticas – orientações claras e contextualizadas para o(a) professor(a), com a finalidade de ampliar as habilidades e competências iniciadas no material didático.

           Nas mãos dos(as) professores(as), o LD da Educação Infantil é um excelente recurso de ensino, que desempenha seu papel de auxiliar a prática docente e orientar possíveis caminhos para o desenvolvimento de habilidades e competências nas crianças. Essa fase requer muita atenção, pois é na infância que as crianças podem adquirir o gosto pelos estudos e iniciar seu caminho em direção à progressão escolar e, sobretudo, à formação integral.

Saiba mais!

BATISTA, A. A. G. Recomendações para uma política pública de livros didáticos. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental, 2001.

COMPARTILHE: