fbpx
Sequência Didática: Contação de Histórias

Sequência Didática: Contação de Histórias

Introdução

            A educação é uma área que tem o potencial de moldar a maneira de agir das pessoas e a escola é um espaço primordial para a sua efetivação, pois tem o compromisso de assegurar o acesso aos saberes elaborados socialmente e, principalmente, aos saberes relacionados à capacidade de exercer a cidadania democrática. Assim, é imprescindível que os conteúdos escolares estejam em consonância com as questões sociais que marcam cada momento histórico, de modo a proporcionar ao aluno o desenvolvimento de suas capacidades e habilidades.

             Na Educação Infantil, a fim de favorecer a compreensão do mundo a sua volta e principalmente da necessidade de estabelecer saberes que promovam a convivência harmônica e respeitosa entre todos, a contação de histórias é uma atividade fundamental no processo de ensino e aprendizagem do indivíduo, tendo em vista o desenvolvimento da capacidade dos alunos para criarem suas próprias histórias, exercitando a imaginação e a criatividade. Além disso, esse tipo de atividade apresenta possibilidades incríveis de trabalho com a diversidade, o respeito, o amor, a solidariedade, a tolerância, a empatia e a valorização pessoal, que permitem oportunidades e momentos de reflexão para os alunos.

            Por meio da escuta, da leitura e da fala os discentes podem exercitar valores humanos cada vez mais urgentes na sociedade, pois:

Os valores possibilitam ao indivíduo atribuir importância e significado às coisas, às pessoas, às ações etc. Os valores não permitem que os sujeitos permaneçam indiferentes ao que acontece em seu entorno. Eles são fundamentais para a vida em sociedade […] (MENEGAZZI, 2011, p. 18)

             Nesse sentido, entendemos a contação de histórias como uma prática capaz de ensinar valores por meio de métodos que façam a criança viajar em sua imaginação e trazer para a sua realidade informações necessárias e importantes para o seu desenvolvimento pessoal, emocional e social, construindo pontes que incluam conteúdos capazes de formar cidadãos aptos a viverem em sociedade.

             Nesta Sequência Didática todo o processo metodológico deve ser desenvolvido de forma diversificada, respeitando o cronograma escolar e as disparidades entre as turmas. Por isso, embora tenhamos determinado a obra e os procedimentos a serem seguidos na execução das aulas, o (a) professor (a) pode escolher o livro ou solicitar e acatar sugestões dos alunos, se julgar pertinente, valorizando as opiniões e promovendo o diálogo. Ademais, é de grande importância que o educador realize pesquisas, discussões em grupo, criação e montagem de painéis ligados aos temas, maquetes, enfim, ações que possam estimular o centro de interesse dos educandos.

 TEMA:

Contação de histórias: A menina e o pássaro encantado, de Rubem Alves

OBJETIVOS

  • Ler, ouvir e compreender histórias;
  • Compreender a importância de valorizar e respeitar ao outro;
  • Refletir sobre o respeito, a solidariedade, o amor, a tolerância e a empatia para vida em sociedade;
  • Praticar alguns valores humanos imprescindíveis para uma boa convivência.

PÚBLICO-ALVO

Pré-II, 4º e 5º anos

ÁREAS DO CONHECIMENTO

Linguagens e suas tecnologias

HABILIDADES

  • (EI03EF01) Expressar ideias, desejos e sentimentos sobre suas vivências por meio da linguagem oral.
  • (EIO3EF103) Escolher e folhear livros procurando orientar-se por temas e ilustrações tentando identificar as letras do seu nome.
  • (EIO3EF103) Manifestar interesse e respeito por diferentes culturas e modo de vida.
  • (E103E003) Ampliar as relações interpessoais, desenvolvendo atitudes de participação.
  • (E103CG05) Coordenar suas habilidades manuais no atendimento adequado a seus interesses e necessidades em situações diversas.

TEMPO ESTIMADO

Plano de aula para 5 ou 6 aulas, cada aula terá duração de 50 minutos.

RECURSO METODOLOGICOS PARA REALIZAÇÃO DAS AULAS

  • Livros, folhas de papel coloridas; atividades em folhas impressas; computador ou Notebook; TV; Datashow; Vídeos; cartolinas, lápis, cola, lápis colorido, entre outros.

ETAPAS

Apresentação da situação; Produção inicial; Módulos (I e II); Produção final.

APRESENTAÇÃO DA SITUAÇÃO

  • Colocar vários livros de histórias, incluindo o texto a ser trabalhado (“A menina e o pássaro encantado”, de autoria de Rubem Alves), compatíveis com a série e idade das crianças, em um varal de livros – que deverá ser preparado previamente pelo (a) professor (a), com decorações alusivas à leitura.
  • Realizar o acolhimento, momento em que os alunos serão recebidos com bastante entusiasmo pelo(a) professor(a), apresentando aos alunos a história “A menina e o pássaro encantado”, de Rubem Alves. Em seguida, solicitar aos alunos que, se possível, identifiquem o livro no varal da leitura e pegue-o para que possa começar a contação da história.
  • Apresentar a história “A menina e o pássaro encantado” de modo geral, mostrando a capa do livro, folheando as páginas e entregando alguns exemplares para que os alunos tenham um contato físico, visualizando imagens, textos e o livro como um todo.
  • Envolver as crianças na contação da história, realizando uma prévia para a realização das próximas atividades.
  • Explicar que vai acompanhá-los em uma roda de história e depois fará uma atividade que já realizam com autonomia, que são as produções de desenhos para serem colocados em cartazes e expostos em sala de aula ou em evento na escola.

PRODUÇÃO INICIAL

  • Acomodar as crianças em um ambiente favorável, que tenha uma acústica boa e uma iluminação adequada;
  • O processo de contação da história deverá ser iniciada com a leitura prévia da história pelo(a) professor(a). Para esse primeiro momento uma leitura simples é o bastante, pois, o próximo passo será uma leitura mais interpretativa da história, com a utilização de encenação, entonação necessária para dar mais ênfase a partes importantes do texto.
  • A dramatização é uma boa sugestão para o segundo momento, podendo ser realizada com a utilização de fantoches, teatrinho de bonecos, com a participação dos alunos na contação ou mesmo em formato de monólogos apenas com o (a) professor (a). Esse momento é extremamente importante, pois será nessa fase que a construção do entendimento por parte das crianças é criada, bem como as assimilações e apropriações aos objetivos estabelecidos pelos professores podem ser alcançados.
  • Informe que os alunos assistirão, em vídeo, a contação da mesma história. Antes de iniciar a exibição é imperativo que o (a) professor (a) faça algumas considerações, preparando os alunos para o que irá acontecer. Durante a exibição o silêncio deve ser considerado, para que consigam se concentrar.
  • Indique que, depois da exibição do vídeo, as próximas atividades serão uma roda de conversa e uma oficina de desenhos.

MÓDULO I

  • Convidar as crianças a participar da exibição da história “A menina e o pássaro encantado”. Você pode exibir o vídeo da história, que está disponível em plataformas digitais no seguinte link de acesso: https://www.youtube.com/watch?v=P65jNtHNgz0.
  • Enfatize a animação das ideias presentes no livro, uma vez que, no vídeo, os personagens ganham vida. O trabalho com vídeos traz uma diversificação nos recursos didáticos, além de proporcionar uma perspectiva lúdica e animada da história trabalhada. A partir disso, chamar a atenção dos alunos para a apreciação do enredo da história.
  • Ao finalizar as leituras da contação, encenação e/ou vídeo, combine com eles que irão rememorar a história fazendo uma recontagem dela. Em seguida, proponha aos alunos expressarem os seus conhecimentos ou que apresentem novas ideias como sugestões para a composição da história. Nesse momento, faça certos combinados com eles, para que as participações de todos sejam acolhidas. Apoie as sugestões, observando e ampliando a riqueza das trocas de opiniões.
  • Após a exibição o (a) professor (a) deverá fazer um fechamento da contação da história com interrogações simples como: Vocês gostaram da história? Sobre o que a história fala? Qual a parte da história que mais lhe chamou a atenção? Foi mais fácil entender a história ouvindo contar ou vendo por meio do vídeo?

MODULO II

  • Iniciar uma roda de conversas para verificação e exposição do que foi apreendido a partir da contação de história, de maneira dialogada e com possíveis relatos de fatos semelhantes aos da história. Recomenda-se que o (a) professor (a) reserve previamente parte da sala para ser usada durante a roda de conversa, colocando as cadeiras no formato circular ou orientando os alunos a sentarem no chão, também em círculo. É sugerido este formato, pois proporciona um contato maior entre as pessoas, valorizando uma maior sociabilidade, além de trazê-los ao lugar de protagonistas no momento do debate.
  • O professor(a) deverá mediar o debate entre os alunos a partir de questões geradoras como: Qual lição podemos aprender com as ações da menina?; Perto da sua casa existem exemplos parecidos com o que vimos na história?; O que vocês fariam se estivessem no lugar dos personagens?
  • Solicitar aos alunos que construam um novo final para a história ouvida, oralmente ou por escrito. Solicitar que compartilhem as próprias histórias, além de contrapontos acerca das opiniões que forem surgindo, concordando ou discordando, trabalhando o diferente e o contraditório de ideias e opiniões, sempre estabelecendo um link com a história contada. Para esse momento, o (a) professor(a) deverá, se possível, tomar nota das opiniões que sempre serão diversas, para que haja o respeito nas interações.
  • Solicitar que os alunos desenhem, em folhas de papel ofício ou separadas do caderno de desenhos, a história com o novo final que cada um criou. Eles podem utilizar vários materiais como: papel, lápis colorido, tintas, pinceis etc. Esta atividade deve ser tão divertida quanto a parte da contação da história, pois expressarão no papel tudo o que entenderam sobre a história de maneira geral, sobre os personagens e o próprio entendimento sobre a ideia principal.
  • Ao final, recomenda-se lembrar aos alunos sobre a necessidade de guardar seus materiais. Para isso, sugira uma maneira inusitada: farão isso pulando como cangurus ou cantando uma música, por exemplo: “guarda, guarda, guarda bem direitinho / quem guarda tudo encontra tudo arrumadinho”.

PRODUÇÃO FINAL

  • Recomenda-se a realização de uma exposição, uma Feira Literária ou mesmo Amostra Cultural, com a apresentação do que fora produzido com o envolvimento de toda a turma.

AVALIAÇÃO

             A avaliação será contínua e qualitativa, durante a realização do projeto, observando-se os valores propostos e apresentados que forem eventualmente assumidos e incorporados pelos alunos. Para que se obtenha os objetivos necessários, é importante ressaltar a relação entre professor-aluno, pois deve ser de amabilidade, carinho, trazendo respeito para que eles se sintam valorizados. É dessa forma que acreditamos no favorecimento da aprendizagem com os conteúdos e também com as emoções, sensibilidade, interação social e simbolização.

             Portanto, saber receber e acolher essas crianças de uma maneira delicada e afetuosa são passos muito importantes para educação e com isso, fazer com que as crianças sejam colocadas no centro do planejamento para que os objetivos desses trabalhos possam mostrar o processo de conhecimento, aprendizagem e desenvolvimento, por meio de experiências concretas.

SAIBA MAIS!

  • MANEGAZZI, Sandra Mara Lopes. Valores, Ética e cidadania: livros paradidáticos para o público infanto-juvenil.  Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Pedagogia: Licenciatura. 2011. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/32056;jsessionid=A7AC2F9349E9723CF18A8C840662DC55. Acesso em: 11 mai. 2021.
  • SOARES, Vilmabel. Práticas Pedagógicas Vivenciais: exercícios para trabalhar valores, atitudes, afetividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

Suelen Cristina da Silva Bernardo de Souza

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual da Paraíba. Atualmente é Atendente Terapêutica, atuante na intervenção com crianças portadoras do Espectro Autista (TEA). Vê o ensino como um ato de amor e partilha.

COMPARTILHE: